Logo FTIUESP Logo Forca Sindical  CNTI LOGO2

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA: LEMBRAR E SE INSPIRAR EM MODELOS DE LUTA ANTIRRACISTA

 

CONSNEGRA

Informações retiradas no site da fundação palmares.

Abdias Nascimento

Nascido em 1914 no município de Franca, Estado de São Paulo, Abdias foi filho de Dona Josina, a doceira da cidade, e Seu Bem-Bem, músico e sapateiro. Embora de família pobre, conseguiu se diplomar em contabilidade em 1929. Aos 15 anos alistou-se no exército e foi morar na capital São Paulo, onde anos depois se engajou na Frente Negra Brasileira e se envolveu na luta contra a segregação racial.

Dramaturgo, poeta e pintor, atuou também como deputado federal, senador e secretário de Estado onde desenvolveu aspectos dessa luta. Autor das obras SortilégioDramas para Negros e Prólogo para Brancos e O Negro Revoltado, relatou em seus livros as realidades quilombolas e levantou temas como o pensamento dos povos africanos, combate ao racismo, democracia racial e o valor dos orixás nas religiões de matriz africana...

Gilberto Gil

Um dos responsáveis por chamar a atenção da sociedade brasileira para o que tinham a dizer e para o que sentiam os jovens, por que não mesmo dizer que se trata de um dos fomentadores do comportamento e do gosto juvenil no nosso país, Gilberto Gil completou, nesse domingo (26), 74 anos.

Gilberto Passos Gil Moreira nasceu em Salvador, no ano de 1942, mas foi criado na cidade de Ituaçu, município do interior baiano que, na época, possuía menos de mil habitantes. Seu pai, José Gilberto Moreira, era médico e sua mãe, Claudina Passos Gil Moreira, professora primária. No ano posterior ao seu nascimento, nasceu sua irmã Gildina Passos Gil Moreira.

Luiza Bairros

Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Luiza Helena de Bairros, nasceu em 1953, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde cursou a graduação em Administração Pública e Administração de Empresas, na Universidade Federal gaúcha. Possui Mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia e doutorado em Sociologia pela Universidade de Michigan.

Sua trajetória contra a discriminação racial se inicia em 1979 após conhecer o Movimento Negro Unificado da Bahia. Logo iniciou sua militância no Grupo de Mulheres do MNU. Participou ativamente das principais iniciativas do movimento em todo Brasil, sendo eleita, em 1991, como primeira Coordenadora Nacional do MNU, onde permaneceu até 1994.

Dona Ivone Lara

Dona Ivone nasceu no dia 13 de abril de 1921, filha de D. Emerentina Bento da Silva, costureira, cantora do Rancho Flor de Abacate e João da Silva Lara, mecânico de bicicletas, violonista e componente do Bloco dos Africanos.

Aos 6 anos de idade, órfã de pai e mãe, foi internada por parentes no Colégio Orsina da Fonseca, onde permaneceu até os 17 anos de idade. E foi onde iniciou sua educação musical. Foi aluna de Zaíra de Oliveira, esposa do compositor, Donga e de Lucília Villa-Lobos, esposa do maestro, Heitor Villa-Lobos que chegou a regê-la no Orfeão de Apinacás da Rádio Tupi. Na escola era admirada por seus professores e ganhou destaque no canto orfeônico, uma espécie de coral com as vozes mais afinadas.