TRABALHADORES DA SABESP PODEM ENTRAR EM GREVE A PARTIR DA ZERO HORA DO DIA 15/05

Trabalhadores da Sabesp participam de assembleia nesta segunda-feira (dia 14) para ratificar greve a partir da zero hora de terça-feira (dia 15)

Com o objetivo de decidir a deflagração de greve, por tempo indeterminado, a partir da zero hora desta terça-feira, dia 15, os trabalhadores da Sabesp da Baixada Santista, Litoral Sul e Vale do Ribeira estarão reunidos nesta segunda-feira, dia 14, às 18h30, nas assembleias que serão realizadas na sede do Sindicato dos Urbanitários (Sintius), em Santos, na subsede de Registro e em Itanhaém.

O motivo da possível paralisação é a intransigência por parte da empresa em avançar nas negociações do novo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Até o momento, foram realizadas três rodadas de negociação e não houve avanços no diálogo entre as partes. A estatal também não reconheceu a data-base (período destinado para correção salarial e revisão das condições de trabalho fixadas em ACT).

Assim como ocorreu nas reuniões anteriores entre a estatal e os representantes do Sintius, os dirigentes da companhia de saneamento não apresentaram uma proposta com o índice de reajuste salarial, na última quinta-feira, dia 10. O Sindicato defende a reposição da inflação, além de um aumento real de 5%.

Além disso, a Sabesp manteve propostas indecentes, como diminuir o adicional de turno de 15% para 7%, reduzir a garantia no emprego de 98% do efetivo para 95%, restringir a hora-extra da prorrogação de jornada de 100% para 50% e implantar a escala de revezamento 12 x 36 horas.

Para o presidente do Sintius, Carlos Alberto de Oliveira Cardoso, o Platini, o movimento paredista deverá ser deflagrado na próxima terça-feira, caso a Sabesp não recue da ideia de retirar direitos da categoria e de enfraquecer a mobilização da categoria. “A categoria já sinalizou na semana passada que não aceita retrocessos. Sem acordo, a greve é o instrumento que os trabalhadores têm para lutar”, afirmou.